Por . em 18/03/2020

Grande parte do caráter de um whisky é desenvolvido durante o envelhecimento da bebida nos barris. Por isso, o tipo de casco é muito importante. Durante os anos de envelhecimento, sabores da própria madeira são capturados. Os resultados também são influenciados pelo tipo de carvalho com o qual o tonel foi construído.

A maioria dos cascos é de Quercus alba (o carvalho branco americano); alguns são feitos de Quercus robur (o carvalho europeu) e poucos de Quercus mongólica (o carvalho japonês).

O casco de carvalho desempenha três funções vitais: remove sabores indesejados; adiciona sabores desejados (baunilha e coco no caso do carvalho americano e adstringência, notas de nozes, maçã, damasco e frutas secas no caso do europeu, por exemplo) e por ser semi-poroso, permite que o liquido interaja com o ar, desenvolva suavidade, complexidade e acrescente características de frutas. Sendo, assim, o carvalho é a melhor madeira.

Na fabricação dos barris de carvalho, não se pode utilizar pregos ou colas, pois isso iria afetar de forma desastrosa a maturação, agregando gostos e odores desagradáveis, daí a importância dos profissionais que desenvolveram técnicas especiais para fazer os devidos encaixes nas ripas, garantindo a não ocorrência de vazamentos. Esses profissionais responsáveis pela montagem dos barris são chamados de tanoeiros.

Só para se ter uma ideia, a árvore de carvalho ideal para ser cortada na fabricação de barris precisa apresentar de 80 a 100 anos de idade. Isso na prática é verificado pelo diâmetro e tamanho dos troncos. As árvores de carvalho maduro, prontas para a derrubada possuem em média 1,00 metro de diâmetro e altura que varia de 6,00m a 7,50m.

Durante o processo de maturação de um Whisky, que pode ocorrer por vários anos ininterruptos, o barril e o destilado vão sofrendo pequenas dilatações térmicas, devido a variações de temperaturas. Nesse processo ocorre a “respiração” do barril, fazendo com que o Whisky sofra pequenas oxidações e dessa forma adquira alguns aromas e notas perceptíveis no paladar, provenientes do local onde se encontra armazenado.

Por fim, uma vez armazenado, o whisky perde 2% de volume e de graduação alcoólica em média por ano – é o que os escoceses chamam de “taxa de evaporação”.

Agora que você sabe as características da madeira no whisky, deguste o seu melhor whisky e divida suas impressões conosco!

Comentários
0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre seu E-mail para receber ofertas exclusivas