Verdadeiro ou Falso?

Por . em 22/08/2019

A falsificação é algo crescente no mercado paralelo de bebidas e com isso é bom estarmos atentos para não sermos enganados. E uma das bebidas mais falsificadas no Brasil e no mundo é o Whisky, muito pelo seu alto preço e pela sua grande procura.

SELO DO IPI – Toda bebida importada destilada, como uísque, vodca, conhaques, brandies, licores, Steinhager, tequilas, gin, aguardentes, e champanhes – da região do mesmo nome na França – devem sempre conter o selo de IPI na cor vermelha. O referido selo, em papel-moeda, é numerado e impresso pela Casa da Moeda.

SELO DO IMPORTADOR – Toda bebida, seja ela nacional ou importada, tem sempre na parte de trás da garrafa uma etiqueta ou rótulo com o nome do importador ou fabricante, contendo inclusive algumas informações como: composição do produto e data de validade.

NUMERO DE SERIE – Para saber se o whisky é falso é só olhar dentro da garrafa e perceber se existe, atrás do rótulo principal em seu interior, um número de série do produto. E verificar se este número de série também se encontra dentro da garrafa da bebida.

Não existe um teste para bebedores normais do tipo: balançar a garrafa e ver as bolhas, tentar sentir o aroma do malte, não adianta bater com a caneta no whisky e nem passar o líquido no pão. E a razão disso é bem simples. Existem dezenas de tipos diferentes de falsificações. E nenhum teste funciona universalmente. O ideal é adquirir suas garrafas de locais de procedência conhecida.

Se você é um marinheiro de primeira viagem, na hora de comprar whiskies, estejam atentos aos detalhes e não corram riscos desnecessários, essas dicas te ajudarão a não ser enganado!

Comentários
0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre seu E-mail para receber ofertas exclusivas